sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

NÉVOAS


Névoas

carmen fossari

Estalaram as estrelas nesta noite
Sob o manto da neblina
Que desceu vagarosamente
Na estrada que viajamos
Pouco vemos do percorrido até então
E vagamente uma luz anuncia
Uma estrada trégua a avançar
Visibilidade nula ,
Fecho na angustia de acompanhante
O foco da atenção sobre teu rosto
teu perfil recorta a noite
Da visão parca de olhar
Adivinho o contorno de teu rosto
Caminho que percorro tantas vezes,
As veias tesas,de alcançares
Seguir o traçado da estrada, que te impões
Ao meio ao caos
Minhas mãos tocam tuas
Serena o nevoeiro
Teu ser ao meu
De encantamento
Uma viela ao tempo
Sol e estrelares noites.
Ouvimos as estrelas ressoarem
Enquanto a neblina segue
A perseguir-nos


.

2 comentários:

joão jacinto & poemas disse...

Belo, Névoas!

Felicito-a pela poesia!
Agradeço as palavras postadas no meu blog; belo e amável comentário!

Abraço poemas,

joão jacinto

carmen fossari disse...

Agradeço imenso,as palavras, a leitura , o retorno .
Abraço Poeta, João Jacinto.

carmen