quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

NO SILÊNCIO

carmend.aranda fossari

No silêncio habitam
um lado o caos
rarefeito .
Estilhaçadas partículas
Encontram o segundo do desencontro.

No outro , o lado oposto,
melodias e cores,
a imagem que retorna.

Alí, aonde de olhar ,retomo
todos os teus seres
és eus, plural

E repleto de risos
todos os guizos
todos os risos
todos , todos, todos.

Pausa das sonoridades
voando, voando
ao ritmo do sem tempo.

Ventos, que voltarão breve
breve como uma semínima
pontuando o acorde
na esquina da melodia.

Casulo suspenso
romper,chegar ao compasso
E seremos música e dança,
Depois do silêncio que escutamos.


ilha 31 J. MMVIII


.

Nenhum comentário: