domingo, 14 de agosto de 2011

MAGENTA UMA FLOR ,COR.
























MAGENTA, UMA FLOR, COR


Carmen Fossari






Um inverno rigoroso
acinzentou os dias
pintou as ruas, calçadas , casas
e trancas, cortinas cerradas,
sorrisos trocados por síbilantes
silêncios
onomatopaicos sussurros
sol como um quadrado
lua como um retângulo
estrelas como pequenas frestas
a olho nu espreitando
a vida galopando
montada num alazão..
(prá combinar com o poema) de crinas cinza
e olhos de cristal gelo,de sonhos enregelados.


Só dentro do coração que tu me habitas
as cores vibrantes, me aquecem
como esta de Magenta estar
desabrochou
rompendo a vedada imagem
acinzentada ,
E diante de meus olhos adormecidos
cavalgam sonhos nas margens de eu estar prateados
e de todos os sois,que se anunciam.

E vibram depois os amarelos dias, luminosos
salpicados de verdes, e vermelhas rosas
mas será nas noites acalentadas das luas
arredondadas desta ilha
que o cinza brilhará em tons de prata
de dourados ao manto estelar que avistaremos
na estação nova,que em andança se aproxima

.

Poema Singelo

Poema Singelo

Carmen Fossari


Gosto das delicatessens
Hábitos pequenos para quem
É aversa ao hábito
De tudo que não se move
Bom dia, boa tarde, boa noite
Como está? Posso ajudar?
Ou obrigada, muito !
Quando a intensidade de agradecer
Está ao ápice
Quando há consideração
Na tecla justa da amizade
Abraços são ternos
Afetos um alimento
E se dá escrita fizer
Uso para escrever ou ler de outrem
Que nunca faltem os ditos carinhos
Abraço que não há braço que desabrace
Beijos, sincopadas palavras em bjs
Ou minha forma carmim de o dizer beijim.
A aresta de meus sentidos se oclusa
Sempre que a oclusão destas pequenas
Qualidades que se espera das amizades
Caiam ao vazio, e ganhe tons
Burocráticos de pequenas narrativas
Amorfas.
Metamoforseio asas, voando ao reino das delicatessens, que as quero!