quinta-feira, 30 de abril de 2009

O ANIMAL Homem


foto arquivo word press.


O ANIMAL Homem


carmen l.fossari


da espécie dos animais (i)rracionais

PALAVRA : ANIMAL/DICIONÁRIO
Zool. Ser organizado, com a forma do corpo relativamente constante, órgãos na maioria internos, tecidos banhados em solução que contém cloreto de sódio, células revestidas de membranas delicadas, com crescimento limitado, e provido de irritabilidade ou sistema nervoso, que lhe permite responder prontamente aos estímulos (Dic. Aurélio Buarque de Hollanda)

É engraçado o homem
Por pensar ser apenas ele
Dotado de sensibilidade
E de razão isolou-se no castelo
Da supremacia do ser
Inventou um conceito diferenciado
Para manter este status quo,
Que o domínio da escrita
Se lhe assegura e, como prerrogativa
Diz ser ele apenas o capaz de criar
Com as mãos os instrumentos de trabalho
E da sobrevivência em ambiente hostil.
Ai o que dizer dos ninhos de barro
Dos pássaros,das tocas perfuradas
Dos buracos nas árvores
Dos diques dos castores
Do namoro em fraternidade
Com a natureza vegetal
Quando em defesa própria
Se camulham de folhas
O que dizer das colméias
Dos , para nós danosos
Formigueiros
Na lei da natureza
Ao mutantis universo
Coube aos habitantes do Planeta
Terra:águas,sol e vários reinos
Das espécies, mas apenas uma
Lei cruel costura a unidade vital
Uma espécie depende de outra em cadeias
Alimentares.
Mas o animal homem tão pretencioso
Criou guetos, castas , classes
E dividiu em sua própria espécie
Humanos em melhores com a mais valia
Lhes garantindo a felicidade aparente,
E humanos menores, os desprovidos
Os de nada terem , por não poderem sequer
Serem da espécie dos humanos animais
Reconhecidos como tal.
Assim na geografia do caos terreno
Em algum país salva-se a vaca, mas condena-se
Aos pobres a eternidade da pobreza .
E saltitam as contradições humanas,
Noutros países ditos doutos
matam focas, baleias
E fazem um mar de sangue .
Noutro criam um mar artificial
Para os animais endinheirados do mundo
Sultuarem a soberania da ostentação
Numa aldeia pequenina, um pequeno símio
Amamentado por uam mulher tribal, vira
Escândalo mundial, crianças salvas por leite
De cabras , parece tão natural.
Engraçado o animal homem, salva com razão
O cão na rua, mas atravessa
A mesma rua, para desviar do
Homem que sem opção
Habita a rua de asfalto
Dos asfaltos tantos,
que assaltam as terra
Serpenteando o planeta
Que um dia pensou
ser o centro do universo.
(Ah se não fosse Galileu...)




.

Nenhum comentário: