terça-feira, 3 de junho de 2008

OUTRO DIA, VIRÁ

Retrato de Jeanne Hébuterne , Modigliani

OUTRO DIA, VIRÁ

Carmen Fossari

UM TALHO NA NOITE
RASGOU O POEMA
AVASSALADOR O VENTO
QUE TROUXE A VISÃO
UMA CEGUEIRA PLANTEI
TECENDO RAMOS E FLORES
AS CORES NAÕ ESTAVAM
NA AQUARELA QUE INSISTIA
RETRATAR
AS CORES AQUARELARAM OUTRA GEOGRAFIA
CUJO PASSAPORTE ME É INTERDITO

A MINHA FRENTE SETE REFLEXOS
DAS IMAGENS ONDE ESTOU
SÃO IMAGENS
SÃO ONDE ESTOU
ONDE SOU ?
SOA A MUSICA DE MEUS ANCESTRAIS

SUPREMOS SERES DE NOITE E DIA
DE SOL E CHUVA
DE MAR E SAUDADES
DE SABEREM-SE EM AMOR
NO VOLTEIO DAS HORAS
ONDE A VIDA SÓ É PERMITIDA
EM ALEGRIA,
EM AMOR QUE SE CUMPRE
EM PEQUENAS OBJETIVIDADES
DOS AFETOS
REFAÇO
EM PEDAÇOS
DOS FRACTAIS REFLEXOS
O PERFIL ESPELHADO
A CABEÇA QUE INCLINO
O OMBRO PARALELO,OMBROS
O OLHAR QUE OLHAM MEUS OLHOS
TALVEZ UM POUCO VAZIOS
E ME VEJO RETRATADA
NA AQUARELA QUE JÁ NÃO CONSEGUIA
COLORIR
AS ÁGUAS DANÇAM NO PAPEL DA VIDA
E BEIJAM A GEOGRAFIA QUE VIRÁ
QUE VIRÁ
QUE VIRÁ.








.

Nenhum comentário: